Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 26-10-2021
    Defesa do Ato Médico
    Conselho Regional de Biomedicina acolhe denúncia do Cremesp
  • 25-10-2021
    Evento
    Cremesp celebra Dia do Médico e inaugura Memorial em homenagem aos médicos falecidos pela covid-19
  • 22-10-2021
    Cuidados Paliativos
    Qualidade e Segurança do Paciente
  • 22-10-2021
    Edição n° 96
    “A pandemia da pandemia” é tema da nova edição da Ser Médico
  • Notícias


    29-08-2016

    AMIB

    Redução dos riscos de infecção em UTIs do país é foco de campanha voltada aos médicos intensivistas


    Com o mote “A conscientização está em nossas mãos”, a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) lançou uma campanha nacional, neste 2016, para reduzir os casos de infecção nas Unidades de Terapia Intensiva de todo o país. A iniciativa pretende levar informações para o público interno de clínicas e hospitais (médicos e profissionais da saúde),  conscientizando para a importância de reduzir os índices de mortalidade provocada por infecções acometidas no ambiente hospitalar, bastante frequentes nos hospitais brasileiros.

    Este ano, a campanha, que conta com o apoio institucional da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), está em sua Fase II: Prevenção da Infecção de Corrente Sanguínea Associada a Cateter Venoso Central. Por priorizar o caráter educativo, difunde de forma educacional o conceito de prevenção; sedimenta a importância da prevenção através das Regionais AMIB e UTIS de todo país e estabelece normativas de prevenção recomendadas pela ANVISA.

     

     


     

     


    Relembrando

    Em 2015 a campanha foi baseada em três pilares que sustentaram a comunicação visual e integraram as seguintes áreas: valorização profissional ao público interno – médicos intensivistas e profissionais de UTI; reconhecimento da classe com outros especialistas e administrativo dos hospitais e população – familiares e público em geral.



    Prevenção

    Veja abaixo sete passos para prevenção da infecção na UTI:

    É a principal medida de prevenção de infecções e, embora seja uma medida simples, as taxas de adesão são extremamente baixas chegando a 70% nos centros com melhores resultados. O uso de álcool gel visa melhorar estes resultados, mas depende de cada profissional a conscientização acerca desta medida.

    O conhecimento da flora microbiológica associada com infecções é o melhor preditor para o sucesso da terapia antimicrobiana empírica. Sem isso, a escolha corre risco de não ser adequada.

    Estima-se que entre 500.000 e 1.000.000 de mortes ocorram no mundo associadas à resistência antimicrobiana e o consumo de antibióticos aumentou 40% na última década. O uso racional de antimicrobianos na UTI é a melhor maneira de combater a emergência de resistência em nosso ambiente de trabalho.

    A desinfecção de áreas potencialmente contaminadas é crucial no controle de infecções e reduz significativamente a carga de patógenos presentes nas áreas próximas a pacientes no ambiente de cuidados intensivos.

    O uso de precaução de contato em pacientes sabidamente colonizados na UTI é parte de nosso arsenal no controle da infecção. Medidas de precaução de contato como o uso de luvas e aventais no contato com o paciente podem minimizar o risco de transmissão cruzada no ambiente de cuidados intensivos.

    É fundamental que os profissionais de terapia intensiva se mantenham atualizados, participando constantemente de atividades de educação continuada na área de infecção no paciente crítico.

    O uso rotineiro de culturas de vigilância e rastreio em pacientes admitidos na unidade de terapia intensiva ou transferidos de outras instituições é importante para identificar os pacientes onde as medidas de precaução são necessárias. O uso de políticas de isolamento onde for possível pode ser útil no controle de surtos.

     

    Fonte: Associação de Medicina Intensivista Brasileira (AMIB)

     

     

    Tags: campanhaAMIBmédico intensivistaMedicina IntensivainfecçãoprevençãoprecauçãoUTI.

    ESTA MATÉRIA AINDA NÃO FOI COMENTADA:

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 51 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2021 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 170 usuários on-line - 51
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior