Busca:

Palavra-chave:

TODOS OS SAÚDE EM PAUTA

ÚLTIMOS SAÚDE EM PAUTA

  • 11-09-2018
    13 de setembro
    Dia Mundial da Sepse alerta a população sobre essa grave enfermidade
  • 28-08-2018
    29 de agosto
    Dia Nacional de Combate ao Fumo alerta a população sobre os malefícios do tabagismo
  • 01-08-2018
    Agosto Dourado
    Aleitamento materno: a base da vida é o tema da Semana Mundial de Aleitamento Materno de 2018 que acontece de 1o a 08 de agosto
  • 13-07-2018
    Saúde masculina
    Dia do homem reforça importância de cuidados para uma boa qualidade de vida

Saúde em pauta



Dia Mundial sem Tabaco


Saiba quais são os riscos do consumo de tabaco e os principais benefícios de se parar de fumar


Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) o tabagismo é a principal causa de morte evitável em todo o mundo, sendo responsável por 63% dos óbitos relacionados às doenças crônicas não transmissíveis. Além disto, este hábito é reconhecido como uma doença epidêmica que causa dependência física, psicológica e comportamental. Como um meio de prevenção e conscientização, a OMS instituiu, em 1987, o dia 31 de maio como o Dia Mundial sem Tabaco.

A compulsão ao tabaco ocorre pela presença da nicotina nos produtos, que, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), obriga os fumantes a inalarem mais de 4.720 substâncias tóxicas, como: monóxido de carbono, amônia, cetonas, formaldeído, acetaldeído, acroleína, além de 43 substâncias cancerígenas, sendo as principais: arsênio, níquel, benzopireno, cádmio, chumbo, resíduos de agrotóxicos e substâncias radioativas.

Com a inalação contínua da nicotina, o cérebro se adapta e passa a precisar de doses cada vez maiores para manter o mesmo nível de satisfação que tinha no início. Esse efeito é chamado de "tolerância à droga". Ao passar do tempo, o fumante passa a ter necessidade de consumir cada vez mais cigarros, sequenciando um aumento relevante no risco de se contrair doenças crônicas não transmissíveis, que podem levar à invalidez e à morte.

Tratamento 

Por se tratar de uma dependência química, os tabagistas encontram grande dificuldade em se desvencilhar do vício. Como um meio de auxílio, ações educativas, legislativas e econômicas vêm sendo desenvolvidas no Brasil. O Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT), ministrado pelo INCA, e a Rede de Tratamento do Tabagismo no Sistema Único de Saúde (SUS) são exemplos de medidas colaborativas e de fácil acesso para aqueles que lutam contra o tabagismo. A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP) disponibiliza em seu site uma cartilha para aqueles que querem deixar o vício.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), existem métodos comprovados cientificamente que servem de subsídio para os fumantes que buscam largar o tabaco. Entre eles, estão os baseados na parada abrupta, cessação gradual com adiamento do 1º cigarro da manhã e dos demais e, redução gradual do número de cigarros fumados por dia ou por semana.

Além destas opções clássicas e, somando-se a elas, estão as abordagens terapêuticas, tanto a cognitiva comportamental (baseadas nas mudanças comportamentais necessárias a enfrentar a vida sem o tabaco) quanto o uso de medicamentos (adesivos, goma e pastilha de nicotina, e comprimidos de bupropiona e vareniclina) para aliviar os sintomas causados pela privação da nicotina. O conjunto destas práticas gera uma melhora gradual, mas, ainda assim, a procura de um médico especialista é imprescindível.

É válido ressaltar que parar de fumar gera evidentes benefícios. Saiba o que acontece a partir do momento que este hábito é deixado de lado:

  • Após 20 minutos, a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal;
     
  • Após 2 horas, não há mais nicotina circulando no sangue;
     
  • Após 8 horas, o nível de oxigênio no sangue se normaliza;
     
  • Após 12 a 24 horas, os pulmões já funcionam melhor;
     
  • Após 2 dias, o olfato já percebe melhor os cheiros e o paladar já degusta melhor a comida;
     
  • Após 3 semanas, a respiração se torna mais fácil e a circulação melhora;
     
  • Após 1 ano, o risco de morte por infarto do miocárdio é reduzido à metade;
     
  • Após 10 anos, o risco de sofrer infarto será igual ao das pessoas que nunca fumaram.

Para mais informações sobre os riscos do tabagismo e meios de prevenção, acesse o site do INCA.




CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

Delegacia da Vila Mariana:
Rua Domingos de Moraes, 2187 - cj. 223 - Edifício Xangai
Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP 04035-000

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS

CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2018 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 222 usuários on-line - 685
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior