PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

CONJUNTURA
Pesquisas negligenciam doenças de populações pobres


EDITORIAL
Presidente do Cremesp espera que a palavra "saúde" não se restrinja aos brindes de final de ano


ESPECIAL
Profissionais de comunicação falam das dificuldades para cobrir a área de saúde


CRÔNICA
Milton Hatoum fala sobre um fato que inspirou cena de "Cinzas do Norte"


MEIO AMBIENTE
São Paulo deu as costas para o Tietê, ao contrário de outras grandes metrópoles como Paris, Londres ou Chicago, crêe autor


DEBATE
Cremesp promove debate para discutir mudanças sobre medicamentos manipulados


SINTONIA
Confira aspectos sobre o impacto da doação de órgãos em familiares


HISTÓRIA DA MEDICINA
Meningite, a epidemia que a ditadura não conseguiu esconder


EM FOCO
Filha de Durval Marcondes mostra carta de Freud a seu pai


CULTURA
Grafiteiro e fotógrafa criam nova modalidade de arte, a fotografite


ACONTECE
São Paulo ganha mais um Niemeyer


LIVRO DE CABECEIRA
Médica da Unifesp fala da obra "A Falsa Medida do Homem"


HOBBY DE MÉDICO
Médica domina técnica de produção de papel japonês feito à mão


CARTAS & NOTAS
Veja como pensam nossos leitores e quais foram as referências bibliográficas usadas


FOTOLEGENDA
Uma imagem da estátua do Cristo Redentor foi projetada na fachada da Catedral de Notre Dame em Paris


GALERIA DE FOTOS


Edição 33 - Outubro/Novembro/Dezembro de 2005

CULTURA

Grafiteiro e fotógrafa criam nova modalidade de arte, a fotografite

Cultura por trás do lixo

Grafiteiro e fotógrafa criam nova
modalidade de arte, a fotografite

A fotografite é o trabalho mais recente do Projeto Quixote, de acolhimento à criança e adolescente em situação de risco social. Na rua Mauá, área central da capital paulista conhecida como “cracolândia”, funciona a mais nova célula do Quixote, o Moinho Luz, um ateliê de arte inaugurado em agosto de 2004, dirigido a usuários de drogas na região. “O Moinho Luz significa a volta às origens do Quixote, com o princípio de acolher, tratar e dar uma perspectiva de vida digna a crianças e jovens”, afirma o médico psiquiatra Auro Lesher, coordenador do projeto desde seu início, em 1996. “Aproximadamente 20 jovens dividem seu tempo entre as oficinas de cinema e grafite, em vez de fumar crack na rua” declara ele.

O ateliê da rua Mauá faz parte da Agência Quixote Spray Arte, na qual jovens em situação de risco aprendem a fazer e comercializar a arte do grafite. Nele trabalham médicos, psicólogos, enfermeiros, cineastas, fotógrafos, grafiteiros e estudantes de Medicina da Universidade Federal de São Paulo – Unifesp, parceira e fundadora do Projeto Quixote. O Moinho Luz é desenvolvido também em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social da Prefeitura de São Paulo e a ONG norte-americana Brazilian Foundation.

A oficina oferece às crianças o contato com as técnicas de desenho e grafitagem. As aulas são dadas pelo grafiteiro Alê Anjo e a fotógrafa Stela Murgel – criadores dessa nova modalidade artística. Alê diz que procura passar não só a técnica do grafite aos alunos, mas toda a cultura hip-hop que a acompanha, englobando a música e a dança. O trabalho consiste em usar sprays, canetões, tinta e pincéis para grafitar as fotos em preto e branco ampliadas. Além do resultado estético, a fotografite é uma arte engajada. Seus precursorres querem chamar a atenção para um problema social. “É uma forma de alertar a sociedade para a ajuda que precisam essas crianças, que praticamente vivem na lata do lixo de São Paulo. Meu trabalho com Stela é virar essa lata de lixo em cima da sociedade”, avisa o grafiteiro. Já Stela queria mostrar a realidade sem ser agressiva. “Não consigo fazer fotos de um menino de rua usando drogas. O olhar, a forma de vestir diz mais do que a foto dele usando crack”, diz Stela. São fotos assim que ela entrega para as intervenções dos grafiteiros.

Conquista
Uma história real que Auro conta com orgulho é a de uma jovem de 20 anos, viciada em crack e grávida de cinco meses, que vagava pelas ruas da “cracolândia”. Além do uso diário de drogas, ela era ameaçada pela polícia e por traficantes. Desde que foi criado o ateliê da rua Mauá, a jovem vem freqüentando as aulas de cinema e grafite. “O caso me impressionou muito, fico feliz de ver que ela está progredindo. Mostrando coisas belas e simples, estamos conquistando essa jovem pela arte”, revela Auro.

O que é o Quixote?

Prestes a completar uma década, o Projeto Quixote está ligado ao Departamento de Psiquiatria da Unifesp. Propõe-se a resgatar a cidadania de crianças e adolescentes oferecendo oficinas lúdicas, atenção à família, atendimento médico e psicológico, apoio para o trabalho, núcleo pedagógico e jurídico. Coordenado por Auro Danny Lescher e sob a supervisão clínica de Darci Portolense, ganhou vários prêmios para projetos sociais. Desenvolve as atividades em parceria com órgãos como a Petrobrás, Prefeitura de São Paulo e empresas privadas. “O Quixote é completo. Ele dá assistência não só pelo lado clínico como auxilia o emocional das crianças”, destaca Darci.


Este conteúdo teve 1128 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede - Consolação: Rua da Consolação, 753
Centro - São Paulo/SP - 01301-910

Sede - Luís Coelho: Rua Luís Coelho, 26
Consolação - São Paulo/SP - 01309-900

Subsede - Vila Mariana: Rua Domingos de Moraes, 1810
Vila Mariana – São Paulo/SP - 04010-200

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 5908-5600 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS

CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2017 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 225 usuários on-line - 1128
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior