Pareceres


Nova Pesquisa | Voltar
Enviar por e-mail | Imprimir apenas a ficha | Imprimir o parecer com a ficha

PARECER Órgão: Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo
Número: 18787 Data Emissão: 27-03-2009
Ementa: Não é recomendável realizar o procedimento de hemodiálise em ambiente de UTI em pacientes sem indicação de tratamento intensivo.

Imprimir apenas a ficha


Imprimir o parecer com a ficha

Consulta    nº  18.787/07

Assunto:  Sobre a realização do procedimento de hemodiálise em UTI, em pacientes que não têm indicação de tratamento intensivo.

Relator:  Conselheiro Renato Azevedo Júnior.

Ementa: Não é recomendável realizar o procedimento de hemodiálise em ambiente de UTI em pacientes sem indicação de tratamento intensivo.

O consulente Dr. J.C.B.P., faz Consulta ao CREMESP nos seguintes termos:

"Sou médico intensivista, trabalho em um serviço de UTI, onde foi instalada inicialmente uma máquina de hemodiálise para realizar esse procedimento nos pacientes internados na UTI.

Porém, agora todos os pacientes internados no hospital são levados para dentro da UTI para realizar a hemodiálise, e depois retornam às enfermarias.

Existe um nefrologista que vê os pacientes nas enfermarias e prescreve o procedimento - banho, horas etc. Com essa prescrição, o paciente entra na UTI, faz o procedimento, tendo a enfermagem a orientação que é o médico intensivista o responsável do paciente durante a diálise. O  nefrologista não fica na UTI e não acompanha a diálise.

Este procedimento está gerando muita ansiedade e dúvidas por parte dos intensivistas que trabalham na unidade, que tememos sermos arrolados em processos por não haver nefrologista durante estes procedimentos, e que são as seguintes:

1) O médico nefrologista deve acompanhar a hemodiálise?

2) O nefrologista, prescrevendo o procedimento, pode delegar ao intensivista o atendimento e acompanhamento do paciente em hemodiálise, se ausentando da unidade?

3) Pode o médico intensivista ser responsável do procedimento de hemodiálise, sendo que existe serviço de nefrologia?

4) Não deveria haver um setor apropriado para realizar hemodiálise em pacientes internados no hospital?

5) Pode um leito de UTI ser disponibilizado para este fim?".

PARECER

Primeiramente, destacamos que não é recomendável a realização do procedimento - hemodiálise - em ambiente de Terapia Intensiva em pacientes que não têm indicação de tratamento intensivo. Se, por algum motivo, este procedimento é feito na UTI, por indicação de nefrologista, cabe ao intensivista atender às intercorrências que porventura ocorram.

Deste modo, respondendo pontualmente às questões formuladas, cabe esclarecer que:

Resposta à questão 1) Não necessariamente;

Resposta à questão 2) Sim;

Resposta à questão 3) No caso, o responsável é o nefrologista. O intensivista atende às intercorrências;

Resposta à questão 4) Sim;

Resposta à questão 5) Não, o leito de UTI deverá ser disponibilizado apenas para pacientes com indicação de tratamento intensivo.


Este é o nosso parecer, s.m.j.


                        Conselheiro Renato Azevedo Júnior

APROVADO NA 3.733ª REUNIÃO PLENÁRIA, REALIZADA EM 06.10.2007.
HOMOLOGADO NA 3.735ª REUNIÃO PLENÁRIA, REALIZADA EM 09.10.2007.

Imprimir o parecer com a ficha

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

Delegacia da Vila Mariana:
Rua Domingos de Moraes, 2187 - cj. 223 - Edifício Xangai
Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP 04035-000

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 515 usuários on-line - 57
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior