Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 23-05-2024
    Conversa com o Cremesp 
    Sextanistas da Unifesp-EPM recebem a autarquia 
  • 22-05-2024
    Artigos científicos
    Trabalhos inéditos da JMRR serão lançados em congresso do Cremesp
  • 21-05-2024
    Publicidade médica
    Cremesp apresenta palestra para diretores e médicos do Hospital Sírio-Libanês
  • 21-05-2024
    Alerta de golpe
    Cremesp não efetua qualquer tipo de cobrança ou solicita dados pessoais por SMS e WhatsApp
  • Notícias


    25-07-2023

    Programa Mais Médicos

    Cremesp denuncia contratação de médicos, por substituição, em unidades básicas de saúde de Guarulhos

    Vistorias realizadas pelo Departamento de Fiscalização do Cremesp, no dia 7 de julho, em Unidades Básicas de Saúde (UBS) localizadas no município de Guarulhos/SP, constataram irregularidades na contratação de médicos através do Programa Mais Médicos (PMM). As fiscalizações foram feitas após o Conselho receber diversas denúncias de médicos da região, que alegaram terem sido demitidos para que profissionais do PMM fossem admitidos.

    Nas diligências, foi observado que, de fato, a admissão ocorreu em substituição a profissional anteriormente contratado como Pessoa Jurídica na própria UBS, de forma que não houve aumento do número de médicos das unidades.

    A ilegalidade foi denunciada pelo Conselho por meio de ofícios enviados à ministra da Saúde, Nísia Verônica Trindade Lima, e ao prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa, nos quais também solicita que as providências cabíveis sejam tomadas. 

    De acordo com a lei que instituiu o Mais Médicos, entre os objetivos do programa estão “diminuir a carência de médicos nas regiões prioritárias para o SUS...”; “fortalecer a prestação de serviços na atenção primária à saúde no País...”; e “ampliar a oferta de especialização profissional nas áreas estratégicas para o SUS...”. 

    Nesse sentido, a contratação de médicos pelo programa para substituir profissionais experientes, visando baixar os custos da folha de pagamento, não só desconstrói a narrativa de que o programa vem para aumentar o número de médicos para o atendimento à população, como contraria os objetivos dispostos na lei, caracterizando-se como desvio de finalidade, representando, assim, uma precarização ainda maior das condições de trabalho médico.

    Cabe ressaltar que o Cremesp vem denunciando a substituição de médicos por profissionais do PMM desde 2018 — algo que, inclusive, já havia sido apontado em relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) após auditoria. De acordo com o documento, de 222 equipes de Saúde da Família avaliadas na amostra, 44 tiveram a substituição de ao menos um profissional da equipe por um do Programa Mais Médicos. A auditoria apontou, ainda, que áreas consideradas mais vulneráveis não foram priorizadas pelo Programa, à época. Os achados da CGU levantam preocupações de que outros interesses poderiam ter guiado a alocação de vagas, com prejuízos aos médicos e à população.

    Em fevereiro deste ano, o Conselho também deflagrou operações em vinte municípios, que contou com a participação de diversos conselheiros, delegados e médicos-fiscais. Foram visitadas as cidades que, proporcionalmente, mais receberam profissionais do Mais Médicos durante 2013 e 2018, muitas delas remotas e carentes. Em todas as Unidades de Saúde visitadas, os fiscais do Cremesp encontraram um sistema de saúde razoavelmente estruturado, com médicos devidamente registrados no Conselho – com exceção de três que atuavam com o Registro do Ministério da Saúde (RMS) -- o que desconstrói a narrativa de que os médicos devidamente registrados no Cremesp não desejam trabalhar nessas localidades.

    Exigência do Revalida

    O Cremesp lançou uma série de ações, em várias frentes, para tentar impedir que o Programa Mais Médicos – retomado este ano pela Medida Provisória (MP) 1.165/2023 –  autorize médicos formados no exterior a atuar no Brasil, sem a devida aprovação no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida). Nesse sentido, oficiou o Congresso Nacional, o Senado Federal, a Procuradoria Geral da República, a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) e a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, dentre outros órgãos, sobre a ilegalidade do Programa, que “ao permitir a inscrição de médicos brasileiros e estrangeiros, graduados em instituições de ensino situadas em solo estrangeiro, não submetidos ao procedimento de revalidação dos diplomas, afronta a Lei nº 13.959/2019”. 

    Recentemente, parecer da Advocacia Geral da União - AGU reconheceu a legitimidade do Cremesp em questionar a ausência da exigência de Revalida no PL, aprovado em 20 de junho pelo Senado Federal, que recria o Programa Mais Médicos nos moldes da Medida Provisória 1.165/2023, cuja ação judicial encontra-se em curso perante a 4ª Vara Cível Federal. 

    Além disso, o Cremesp reativou o canal dificuldadescadastromaismedicos@cremesp.org.br, e-mail de denúncias para que médicos formados no Brasil ou com diploma estrangeiro devidamente revalidado – que têm prioridade na confirmação de escolha de vagas no Mais Médicos – possam registrar eventuais problemas na sua adesão ao Programa. Já os médicos que, de alguma forma, forem demitidos, prejudicados ou substituídos por profissionais contratados pelo PMM têm à disposição outro canal de denúncias aberto pelo Conselho: prerrogativas@cremesp.org.br.
     


    Este conteúdo teve 191 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2024 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 488 usuários on-line - 191
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior

    O CREMESP utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Cookies do CREMESP. Saiba mais em nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.