Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 08-08-2022
    Novo programa de Educação
    Cremesp lança o projeto Medicina Baseada em Evidências
  • 02-08-2022
    Vigilância epidemiológica
    Comunicar doenças de notificação obrigatória é dever dos médicos
  • 01-08-2022
    Eventos
    Presença do Cremesp aproxima duas gerações de médicos da região de Presidente Prudente
  • 01-08-2022
    Nota de pesar
    Faleceu o professor doutor Aécio Flávio Teixeira de Góis, da Unifesp
  • Notícias


    05-08-2022

    Alerta aos médicos

    Secretaria de Saúde de Rio Preto confirma três casos de varíola dos macacos  


    A varíola dos macacos continua propagando-se de forma preocupante no mundo e a Secretaria Municipal de Saúde de São José do Rio Preto confirmou o registro de três casos da doença em 5 de agosto (sexta-feira). Com intuito de cientificar os médicos da região sobre esses casos e auxiliá-los nos cuidados em relação à doença, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) apresenta um breve resumo, com informações de interesse dos médicos sobre o assunto: 

    * A varíola dos macacos é transmitida pelo vírus monkeypox (MPX), que pertence ao gênero orthopoxvirus. Tem sintomas muito semelhantes aos observados em pacientes com varíola, embora seja clinicamente menos grave. 

    * Devido à rápida disseminação do vírus, é fundamental a identificação de casos suspeitos e confirmados, isolamento e rastreamento dos contatos, além de medidas de vigilância e controle adequadas para conter o avanço do MPX.

    * Os sintomas iniciais mais comuns são febre, mialgia, fadiga, cefaleia, astenia, dor nas costas e linfadenopatia. As lesões progridem dentro de 12 dias, do estágio de máculas para pápulas, vesículas, pústulas e crostas. 

    * As lesões são, em geral, múltiplas e se curam entre duas e quatro semanas. O número de lesões varia de algumas a milhares e afetam as membranas mucosas da boca (70% dos casos), genitália (30%), conjuntiva palpebral (20%) e córnea. A maioria dos casos humanos de MPX apresenta sintomas leves a moderados. A gravidade da doença também pode variar dependendo da via de transmissão, suscetibilidade do hospedeiro e da quantidade de vírus inoculado. 

    * Quanto aos casos graves, as complicações incluem encefalite, infecções bacterianas secundárias da pele, desidratação, conjuntivite, ceratite e pneumonia. A taxa de mortalidade de casos de MPX variou de 0% a 11% em surtos em áreas endêmicas,  afetando principalmente crianças pequenas. 

    * A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo vem divulgando alertas técnicos sobre a doença dirigidos aos profissionais de saúde, com informações sobre os sintomas, manejo clinico e notificação dos casos. 


    Acesse as notas técnicas da SES-SP para a assistência à doença no Estado de São Paulo

    Alerta Epidemiológico - Número 9

    Nota Técnica nº 46 – Monkey pox e ciclo gravídico:


    Fonte: Secretaria de Saúde do Estado de SP 
     


    Este conteúdo teve 309 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2022 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 111 usuários on-line - 309
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior

    O CREMESP utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Cookies do CREMESP. Saiba mais em nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.