Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 09-04-2021
    Covid-19
    Vacinação no Cremesp continua na terça-feira (13/4), para médicos a partir dos 50 anos, com registro no município de SP
  • 08-04-2021
    Institucional
    Toma posse a nova diretoria do Cremesp
  • 06-04-2021
    NOVO CRONOGRAMA
    Vacinação no Cremesp contempla médicos do município de SP, a partir dos 50 anos, nesta quarta-feira (7/4)
  • 30-03-2021
    VACINAÇÃO
    Cremesp cria breve pesquisa online sobre a imunização dos médicos contra covid-19
  • Notícias


    07-04-2021

    Imunização

    Cremesp reforça a importância da vacinação entre os médicos em alusão ao Dia Mundial da Saúde

     

    O Dia Mundial da Saúde, celebrado em 7 de abril, tem como um de seus objetivos difundir informações e recomendações que auxiliem a população na preservação da saúde. Por isso, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) terá a importância da vacinação como tema principal de sua campanha, focando, principalmente, nos médicos — afinal, não há como falar de saúde sem falar de imunização, e não há como cuidar de pacientes sem estar saudável.

    A abordagem se faz necessária não apenas em decorrência da atual pandemia de covid-19, cuja gravidade escancarou, ainda mais, a imprescindibilidade da vacinação, mas também em razão de um dado preocupante: a cobertura vacinal obrigatória pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) está abaixo do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), desde 2015.

    O  Cremesp vem chamando atenção para este decaimento desde 2019, quando publicou dossiê sobre o tema na revista Ser Médico, edição 85. O conteúdo embasou ações promovidas pela Promotoria de Justiça Cível de Interesses Difusos da Infância, para garantir a vacinação de crianças paulistas.

     O material produzido pelo Conselho também chama a atenção para a disseminação de movimentos “antivacinas" e de fake news, feitas, inclusive, por profissionais da saúde, o que prejudica significativamente o controle da atual pandemia e o de outras doenças infecciosas preveníveis reemergentes.

    Além de contribuir com a desinformação, podendo suscitar problemas graves de saúde pública, a condenação das vacinas vai na contramão da própria ciência, que deveria ser integralmente seguida pelos médicos — até porque, não estar imunizado significa que o profissional está suscetível a um maior número de enfermidades, o que compromete seu próprio trabalho e o distancia de seu propósito: o cuidado do paciente.

    Profissionais que divulgam informações falsas, contrárias às vacinações, incluindo"alternativas de exercício da Medicina”, podem infringir dispositivos legais que tutelam as crianças e adolescentes, como os Artigos 3º, 4º, 7° e 11º de seu Estatuto (ECA).

    Os médicos possuem o papel inerente de conscientizar a população por meio da ética e da ciência, além de auxiliar na promoção e manutenção da saúde. Sendo assim, é fundamental que se alicercem a estes pilares e eduquem os pacientes sobre a importância da vacinação. Em paralelo, é indubitável que se atentem ao seu próprio cuidado, uma vez que a rotina corrida e desgastante a qual são submetidos pode fazer com que deixem de lado seu bem-estar.

    Cabe lembrar que a queda da cobertura vacinal acaba potencializando, ainda que indiretamente, o desgaste dos médicos e demais profissionais da área, já que, conforme demonstra o documento, uma consequência da redução do número de pessoas imunizadas é a sobrecarga para os serviços de saúde, que terão de voltar sua atenção à doenças que poderiam ter sido evitadas pela imunização, como, por exemplo, o sarampo, que, a princípio, estava eliminado do Brasil, mas que imergiu novamente no País em 2019, após registro de mais de 3 mil casos confirmados em 16 Estados.

    Covid-19
    A incerteza sobre as imunizações também tem marcado presença na atual pandemia de covid-19. Mesmo sendo uma doença que já vitimou milhares de pessoas ao redor do mundo, ainda há a disseminação de informações falsas e a fomentação dos movimentos "antivacina", que acabam prejudicando a população como um todo.

    Para combater este problema, o Cremesp tem produzido diversos conteúdos e recomendações aos médicos e à sociedade em geral, como a realização de lives relativas à covid-19 — tendo, inclusive, recentemente, promovido uma sobre a importância da vacinação — e a criação de um hotsite específico sobre a nova doença.

    Logo no início da pandemia, o Conselho solicitou a testagem dos médicos às autoridades e, agora, está enviando ofício às Secretarias Estadual e Municipal de Saúde (SES-SP e SMS-SP) defendendo a imunização dos médicos, para que estes profissionais continuem prestando seus valorosos serviços à sociedade.

    Após intensa mobilização, a autarquia conseguiu sediar a vacinação dos médicos do município e, até março deste ano, já imunizou mais de 2.300 profissionais. Agora, o Cremesp luta para que ocorra a ampliação das faixas etárias.

    Saiba mais sobre as ações do Cremesp por meio do site www.cremesp.org.br
     


    Este conteúdo teve 434 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2021 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 250 usuários on-line - 434
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior