Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 03-04-2020
    Anuidade 2020
    CFM determina que Cremesp diminua prazo limite com pagamento para até 30 de junho
  • 02-04-2020
    Ensino Médico
    MEC desativa curso de Medicina da Universidade Brasil após apuração que contou com colaboração do Cremesp
  • 30-03-2020
    Covid-19
    Live promovida pelo Cremesp traz novidades em relação ao manejo clínico
  • 30-03-2020
    Coronavírus
    Cremesp promoverá live sobre “Ventilação mecânica e covid-19”, com o prof.dr. Carlos Carvalho
  • Notícias


    11-03-2020

    Covid-19

    OMS muda a classificação de transmissão para “pandemia”

    A transmissão do coronavírus Covid-19 mudou de categoria no dia 11 de março, passando a ser classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma pandemia, designada quando “os vírus conseguem infectar facilmente e se espalhar, de pessoa para pessoa, de maneira eficiente e sustentada” em várias regiões. Importante: o critério se refere à propagação de uma doença, seu alcance geográfico, e ao risco de as pessoas contraírem o vírus –  não à sua gravidade. 

    Tal mudança de patamar chega em um momento em que há quase 130.000 casos confirmados em 110 países em todos os continentes (exceto Antártida), com cerca de 5.500 mortes e aproximadamente 67 mil reversões de quadro, conforme mapa mundial atualizado sobre o novo coronavírus, da Johns Hopkins University. No Brasil, até o fechamento desta nota, somavam-se 52 casos da doença, sendo 30 em São Paulo; 13 no Rio de Janeiro; dois na Bahia, Distrito Federal e Rio Grande do Sul. Espírito Santo, Minas Gerais e Alagoas registraram um caso em cada, e havia 893 casos suspeitos no país. 

    Atualização: no dia 13 de março, no fechamento desta nota, havia cerca de 138.000 casos confirmados em 117 países em todos os continentes (exceto Antártida), com cerca de 5.100 mortes e aproximadamente 70 mil reversões de quadro, conforme mapa mundial atualizado sobre o novo coronavirus, da Johns Hopkins University. No Brasil somavam-se 157 casos da doença, sendo 106 casos confirmados em São Paulo; 16 no Rio de Janeiro; sete, na Bahia; seis, no Paraná; quatro no Rio Grande do Sul. Distrito Federal, Goiás e Santa Catarina apareciam com três casos cada; Minas Gerais, Espírito Santo e Pernambuco, dois; e Alagoas, Rio Grande do Norte e Amazonas, com um caso cada.

    Como a classificação da OMS não se refere à gravidade da doença,  mantêm-se as principais medidas em saúde pública do Protocolo de Tratamento do Novo Coronavírus (2019-nCoV), em relação a pacientes que buscarem serviços de saúde. Estes devem ser submetidos à triagem clínica com reconhecimento precoce dos sintomas e, se necessário, encaminhamento imediato para uma área separada dos demais, que contenha suprimentos de higiene respiratória e das mãos. 

    Qualquer pessoa que tenha contato próximo (dentro de um metro) com alguém com sintomas respiratórios (por exemplo, espirros, tosse etc.) está em risco de ser exposta a gotículas respiratórias potencialmente infecciosas.

    Vulneráveis 
    Como aconteceu inicialmente com outros coronavírus como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) e Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers-CoV), novos vírus são os mais prováveis de levar a uma epidemia, em virtude de o ser humano não contar com defesas naturais contra eles, ou com medicamentos e vacina para a proteção individual e coletiva. Assim, todas as pessoas são mais ou menos vulneráveis.
     
    Desde o início dos surtos, as classificações epidemiológicas realizadas pela OMS vêm mudando de forma crescente: em janeiro havia, por parte da organização, um receio de extrapolar a amplitude e gravidade da infecção. Por isso, o organismo internacional foi reticente em declarar “situação de emergência Global”, já que, naquele momento, a avaliação era de que o número de notificações fora da China era “pequeno”. No dia 26 de fevereiro, a definição de risco tornou-se “muito alto” e, por fim, hoje tornou-se “pandemia”. 

    Segundo o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, a palavra “pandemia” não deve ser usada de uma forma “descuidada e leviana”. Para ele, se mal empregada, “pode despertar medo irracional ou a aceitação injustificável de que a luta acabou, levando a sofrimento e mortes desnecessários”. 

    Diferenças entre Epidemia, Surto, e Pandemia 
    Conforme uma das definições sobre o assunto, do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), EUA, as diferenças entre essas três classificações são: 

    Epidemia – Se refere a um aumento, muitas vezes repentino e acima do que é normalmente esperado, do número de casos de uma doença entre determinada população em uma área específica. 

    Surto – Carrega a mesma definição de epidemia, mas costuma ser usada para uma área geográfica mais limitada. 

    Pandemia – Corresponde a uma epidemia que se espalhou por vários países ou continentes, geralmente afetando um grande número de pessoas. Os vírus conseguem infectar facilmente e se espalhar de pessoa para pessoa de maneira eficiente e sustentada em várias regiões.

    Leia também: 
    OMS alterou o status do risco da epidemia do coronavírus para "muito alto"
    Cremesp traz informações atualizadas aos médicos sobre a disseminação do coronavírus 
    Cremesp atualiza informações sobre prevenção, diagnóstico e testagem ao novo coronavírus 
    Mapa criado pela universidade Johns Hopkins, em Baltimore, EUA, mostra, em tempo real, o número de registros e mortes causados pelo novo coronavírus em todas as regiões do mundo.

     


    Este conteúdo teve 4664 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


    ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2020 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 255 usuários on-line - 4664
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior