Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 24-06-2024
    Evento
    Cremesp promove 1º Simpósio de Iniciação Científica para incentivo à pesquisa
  • 21-06-2024
    Vitória da Amdesp e da Ampetra
    Senatran revoga exigência de CNPJ para médicos e psicólogos credenciados junto ao órgão
  • 21-06-2024
    Fenol
    Cremesp ingressa na Justiça Federal e pede proibição da Anvisa para venda do produto a não médicos
  • 18-06-2024
    Araraquara
    Estudantes de Medicina da Uniara lotam auditório para assistir ao Conversa com o Cremesp
  • Notícias


    24-03-2015

    Bráulio Luna Filho

    Valorização na saúde suplementar

    “Um novo contrato, nas condições que as operadoras de saúde querem, é inaceitável”

     

       Diferentemente de anos anteriores, 2015 sinaliza uma luz no fim do túnel. A Lei 13.003, aprovada em meados de agosto de 2014, garante aos médicos credenciados aos planos de saúde reajustes anuais nos contratos.

    Embora ainda não seja uma negociação coletiva, que tornaria menos desigual a relação entre médicos e planos de saúde, não é descabido afirmar que caminharemos nessa direção. Por exemplo, já há tribunais de Justiça reconhecendo que entre médicos e operadoras há, não apenas uma prestação de serviço, mas, também, uma relação de trabalho.

    Enquanto não se consagra uma jurisprudência sobre o que seria um direito inalienável, temos de ocupar os espaços descortinados pela Lei 13.003/2014. Para 2015, ela determina que planos de saúde e médicos têm até 31 de março para negociar e acordar os reajustes a serem aplicados nas consultas e procedimentos, na data de aniversário dos contratos.

    Lamentavelmente, há operadoras encaminhando propostas de reajuste entre 30% e 40% do IPCA. É uma vergonha! Um desrespeito aos médicos com consequência no atendimento dos pacientes. Como exercer a profissão, com proficiência e atualização exigida pela evolução do conhecimento, quando a recomposição proposta não consegue repor sequer a inflação oficial?

    Representantes da classe médica de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo se reuniram na Associação Paulista de Medicina para debater essas questões durante o I Fórum Sudeste de Mobilização na Saúde Suplementar. Decidiram, por unanimidade, alertar aos colegas credenciados que um novo contrato, nas condições acima citadas, é inaceitável, considerando os atuais níveis de renumeração.

    Outra resolução importante do Fórum Sudeste foi que os índices que servirão como referência para os reajustes de honorários e procedimentos devem ser superiores ao IPCA, como forma de iniciar a recomposição de parte das perdas acumuladas nos últimos anos.

    Protocolamos as reivindicações dos médicos na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), no dia 18 de março.

    Queremos um rol mínimo a ser utilizado como parâmetro pelas nossas entidades estaduais, as sociedades de especialidades. O fulcro da questão é resgatar o valor do trabalho médico. Afinal, não há Medicina sem médicos.

    Ocorra o que ocorrer, esse é mais um exemplo de como os maus empresários usam a saúde em causa própria com o único escopo de acumular riquezas, e em detrimento dos médicos e pacientes. Temos que virar esse jogo!

     

    Jornal do Cremesp nº 323 - Março 2015

     

     

    Tags: EditorialJCsaúdesuplementaroperadorasplanos.

    ESTA MATÉRIA AINDA NÃO FOI COMENTADA:

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 206 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2024 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 671 usuários on-line - 206
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior

    O CREMESP utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Cookies do CREMESP. Saiba mais em nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.