Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 16-08-2018
    Sondagem
    Cremesp realiza levantamento sobre casos de violência sofridos por médicos
  • 15-08-2018
    Solenidade
    Cremesp realiza entrega de carteiras a médicos recém-formados
  • 15-08-2018
    Novo CEM
    Cremesp participa da III Conferência Nacional de Ética Médica
  • 10-08-2018
    Eleição Cremesp 2018
    Chapa 6 venceu o pleito para a gestão 2018/2023 com 33,45% dos votos dos médicos
  • Notícias


    06-08-2014

    José Luiz Setúbal

    Santa Casa de SP - Situação dramática

     

    Escrevo como um membro da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo que quer ajudá-la, não como candidato a provedor, pois essa pretensão acabou em 16 de abril, quando perdi a eleição. A Santa Casa de São Paulo é uma instituição com mais de 450 anos, fruto de muitas gerações de paulistanos que fizeram dela um patrimônio da cidade e que não pode terminar sua história de forma tão triste.

    Hoje, ela é um complexo de saúde com 39 unidades, composta por hospitais, unidades básicas de especialidades, de saúde mental, alguns próprios e outros administrados por ela, além de contar com colaboração da Faculdade de Ciências Médicas, onde me formei.

    Desde meados do século 16 até 1988, foi responsável por fazer a misericórdia na cidade. Entre suas funções estava o atendimento gratuito de saúde da população carente. Em 1988, com a criação do SUS (Sistema Único de Saúde), ela começou a ser remunerada pelos serviços de saúde prestados e, assim, passou a receber menos doações da sociedade. Nestes quase 30 anos, a medicina mudou e encareceu muito, sendo provável que a Santa Casa do século 21 não consiga realizar o atendimento médico gratuito de outrora.

    Não há como negar o subfinanciamento do sistema de saúde público. A defasagem entre a remuneração do SUS e o custo do serviço está em cerca de 40%, ou seja, para cada R$ 1.000 que se gasta com os doentes, recebe-se R$ 600. Esse é um grande problema e sua solução é de médio e longo prazo, pois o governo federal não tem como corrigir isso de imediato. Esse pagamento direto do SUS à Santa Casa é uma das fontes de receita e pode-se dizer que essa remuneração é um pouco melhor por se tratar de um hospital universitário e realizar procedimentos estratégicos e de alta complexidade.

    Outra fonte de receita vem das Organizações Sociais de Saúde, unidades públicas de saúde cuja gestão é feita pela Santa Casa. Apesar de realizar atendimento pelo SUS, o gestor recebe por contrato realizado com a Secretaria de Saúde a qual pertence, no caso da Santa Casa, as Prefeituras de São Paulo e Guarulhos ou do governo do Estado. Em teoria, esses contratos não devem dar lucros ou prejuízos ao gestor que recebe uma taxa pelo serviço. Existe, finalmente, a receita dos planos de saúde. A Santa Casa possui dois hospitais privados, os Santa Isabel, hoje muito mal geridos.

    No planejamento que fizemos junto a uma grande consultoria internacional para a recuperação econômica e financeira da Santa Casa, prevíamos uma completa reestruturação do modelo atual de gestão –hoje muito centralizada e sem processos modernos de gestão– implantando uma administração profissional e uma governança baseada no modelo proposto pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, com a criação de um conselho fiscal para evitar que a instituição feche as portas, como ocorreu nos últimos dias.

    Seriam ampliadas as fontes de receita dos 700 contratos de aluguéis que nos últimos seis anos cresceram menos que o IPCA, além de desenvolver um setor de captação de recursos profissionalizado.

    Com essas mudanças, a perspectiva era que após um ano e meio já seriam alcançados resultados positivos, a capacidade de investimentos e condições de amortizar as dívidas bancárias com fornecedores estariam sanadas.

    Para enfrentar a dramática situação atual, entendo que deveríamos unir esforços partindo do que propusemos em nossa campanha como a reformulação total da gestão, com planejamento, criatividade, credibilidade e, sobretudo, com muito trabalho e esforço de todos: governo, sociedade e membros da Irmandade. Mãos à obra!


    Setúbal é médico pediatra, presidente da Fundação José Luiz Egydio Setúbal, da qual faz parte o hospital Sabará, e integrante da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

     

    Texto originalmente publicado pelo jornal Folha de São Paulo - Tendências/Debates - Caderno Opinião - Edição de 5 de agosto de 2014.

     

    Tags: FSPSanta Casa de SPsituação dramáticaSetúbaltendênciasdebatesopinião.

    ESTA MATÉRIA AINDA NÃO FOI COMENTADA:

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 817 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    Delegacia da Vila Mariana:
    Rua Domingos de Moraes, 2187 - cj. 223 - Edifício Xangai
    Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP 04035-000

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


    ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2018 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 386 usuários on-line - 817
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior