Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 30-06-2022
    50 anos de profissão
    Cremesp homenageia médicos de Campinas, Jundiaí e Bragança Paulista
  • 30-06-2022
    Serviços
    Expansão de sistema tecnológico permitirá mais interação entre delegacias regionais
  • 28-06-2022
    Suspensão
    Laboratório anuncia recolhimento de lote do medicamento Solução Parenteral de Cloreto de Potássio
  • 27-06-2022
    50 ANOS DE EXERCÍCIO PROFISSIONAL
    Botucatu é sede de prestigiadas homenagens a médicos do Interior paulista
  • Notícias


    26-08-2013

    Médicos cubanos

    CFM considera a imigração anunciada pelo Ministério da Saúde como medida eleitoreira e irresponsável


    Em nota divulgada nesta quarta-feira, 21 de agosto, o Conselho Federal de Medicina (CFM) considerou o  anúncio de importação de médicos cubanos, feito pelo Ministério da Saúde, "eleitoreiro, irresponsável e desrespeitoso."

    A entidade condenou veementemente a entrada dessas pessoas sem antes terem tido seus diplomas médicos revalidados e comprovarem conhecimento da língua portuguesa.  Para o Federal, "essa medida agride direitos individuais, humanos, do trabalhador e ainda expõe a saúde da população a situações de risco."

     

    Acompanhe a íntegra do texto:

     

     

    NOTA DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONTRA A IMPORTAÇÃO DE MÉDICOS CUBANOS


    O Conselho Federal de Medicina (CFM) condena de forma veemente a decisão irresponsável do Ministério da Saúde que, ao promover a vinda de médicos cubanos sem a devida revalidação de seus diplomas e sem comprovar domínio do idioma português, desrespeita a legislação, fere os direitos humanos e coloca em risco a saúde dos brasileiros, especialmente os moradores das áreas mais pobres e distantes.

    Trata-se de uma medida que nada tem de improvisada, mas que foi planejada nos bastidores da cortina de fumaça do malfadado Programa “Mais Médicos”. O anúncio de nesta quarta-feira  (21) coloca em evidência a real intenção do Governo de abrir as portas do país para profissionais formados em Cuba, sem qualquer avaliação de competência e capacidade. Estratégia semelhante já ocorreu na Venezuela e na Bolívia, com consequências graves para estes países e suas populações.

    Conforme já denunciado pelas entidades médicas, a gestão temerária do Ministério da Saúde nunca priorizou o profissional formado no país ou os estrangeiros com competência atestada pelo Revalida. O Programa “Mais Médicos”, com seus prazos inexequíveis e falhas de sistemas, desde sua concepção já apontava para o desfecho anunciado.

    Alertamos à sociedade que o Brasil entra perigosamente no território da pseudo-assistência calcada em evidentes interesses pessoais e políticos-eleitorais. Todos os brasileiros devem ter acesso ao atendimento universal, integral, gratuito e com equidade, conforme previsto pela Constituição ao criar o Sistema Único de Saúde (SUS).  Não há cidadãos de primeira e segunda categoria, e é isso que essa medida cria.

    Além disso, o anúncio dessa importação mostra também o desrespeito do Governo Federal com os direitos humanos, individuais e do trabalhador. De forma autoritária e demagógica, em nome de soluções simplificadas para problemas complexos, o Governo – preocupado com marcas de gestão de olhos numa possível candidatura – rasgou a lei e assume a responsabilidade por todos os problemas decorrentes de seu ato demagógico e midiático.

    Contra tudo isso e para garantir os direitos dos cidadãos brasileiros, serão envidados esforços, inclusive as medidas jurídicas cabíveis, para assegurar o Estado Democrático de Direito no país, com base na dignidade humana.

    A sociedade não deve aceitar passivamente essa proposta e, portanto, os Conselhos de Medicina conclamam o Poder Legislativo; o Poder Judiciário; o Ministério Público; as universidades; a imprensa; e todos os movimentos da sociedade civil organizada a se posicionarem contra esta agressão à Nação e em benefício de um sistema público de saúde de qualificado.


     

    Conselho Federal de Medicina



     

    Tags: médicoscubanosimportaçãoimigraçãoministério da saúdePadilharepúdio.

    Veja os comentários desta matéria


    Concordo com os comentários que dizem que temos que ser mais enérgicos. Vamos utilizar as medidas legais sim, mas o PT é um partido aguerrido e com vocação ditatorial, cujos lideres foram influenciados, quando não forjados em Cuba. Se não mostrarmos força, eles não nos respeitarão. Veja como respeitam os magistrados e o ministério público, pois sabem que estes dois grupos tem força!! Somos 400 mil (número maior que o dos militantes do PT) e se iniciarmos unidos uma campanha anti-PT e orientando os médicos a deixarem cargos administrativos nos governos deste partido, talvez eles passem a nos respeitar. Outra medida que pode ser feita em curto prazo é iniciar um processo ético-profissional contra o Padilha.
    Paulo SD
    CFM/CRM não podem dar liberação provisória para médicos formados no estrangeiro sem Revalida? É isso? Foi publicado que esses médicos vão ter licença provisória de atuação. Essa deve ser uma notícia enganosa????espero!!!
    waldyr muniz oliva filho
    O responsável por tudo isso não é do Padilha? Por quê não cassar o registro desse cidadão? Ele está humilhando a classe dele e alem disso ele não precisa da medicina para sobreviver. É um politiqueiro demagogo sem vontade própria. Esta agindo em conformidade com as regras do sr. Lula.
    Antônio Carlos Pieve
    Não adianta nada entrar na justiça, fazer protestos com nariz de palhaço, etc. Eu vivi 20 anos numa ditadura comunista antes de vir para o Brasil e sei o que é. Comunista não quer saber de lei, de Constituição de nada, Mesmo o proprio STF vai barrar o programa eles vão continuar. O Padilha falou isso muito claramente quando foi perguntado sobre o regime de trabalho dos medicos estrangeiros: Nos não vamos retroceder, vamos levar medicos para as areas aonde não tem. Então, não entendo, como pagador da anuidade do CREMESP, porque a entidade teima em acreditar que os artifícios juridicos vão funcionar. Vivemos numa ditadura bolivariana. Espero que não vão censurar de novo meu comentario, não adianta de nada barrar as opiniões dos profissionais que não concordam com a atitude passiva do CREMESP!
    MIHAI SORIN DOROBANTU
    Deveriam ser tomadas medidas mais drásticas contra a falta de ética e abuso do governo que avilta cada vez mais os profissionais da medicina.
    Jose Oscar
    Infelizmente temos um ministro da Saúde e um Ministério da Saúde que não representam os médicos e não defendem os direitos da população. É aviltante aceitarmos colegas vindos do exterior sem revalidação do diploma. Serão todos muito bem vindos, se devidamente comprovadas suas qualificações. Agora vir para cá colegas nossos que não irão receber seus salários como nós recebemos os nossos, é ultrajante. Isto é uma afronta às nossas leis trabalhistas. Os médicos estrangeiros devem ter os mesmos direitos que nós médicos brasileiros temos no nosso território nacional.
    ANDRE MAYBACH
    Isso é um desrespeito com o povo brasileiro, com a classe médica, com os estudantes, enfim, estamos nos aproximando de uma ditadura. Essa quadrilha que se chama PT, só vai nos respeitar através de greve por tempo indeterminado, temos que nos unir. Então que tragam 100 mil médicos cubanos para assumir o SUS. Sou médico radiologista e a favor de greve porque os políticos não nos ouvem e estão passando por cima de tudo, até mesmo de nossa constituição. Basta já! greve por tempo indeterminado! Não adianta negociação. Por favor, antes que seja tarde demais.
    joao carlos
    Eles estão nem aí com suas passeatas, notas de repudio e notas de protesto. Vão trazer os impostores e ponto final. Acorda, CREMESP! Acorda, CFM!
    MIHAI SORIN DOROBANTU

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 331 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2022 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 241 usuários on-line - 331
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior

    O CREMESP utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Cookies do CREMESP. Saiba mais em nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.