Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 19-08-2019
    Convênio
    Cremesp firma parceria com CreciSP para eliminar custo e agilizar avaliação de imóveis em desuso
  • 16-08-2019
    Serviços
    Cremesp recebe denúncias apenas se encaminhadas pessoalmente ou por correspondência
  • 13-08-2019
    Carta de intenções
    Cremesp e SBD-SP implementarão protocolo para fornecer informações seguras sobre procedimentos injetáveis
  • 10-08-2019
    Fórum
    Treinamento, capacidade técnica e experiência do médico promovem a segurança do paciente em procedimentos injetáveis
  • Notícias


    04-07-2012

    Renato Azevedo Jr.

    A "mágica" do governo federal

    Editorial - Jornal do Cremesp  



    “A abertura de mais vagas de Medicina, sem compromisso com a qualidade do ensino médico, terá efeito oposto do anunciado”

      Ao anunciar a ampliação de 2.415 novas vagas em cursos de Medicina, o Ministro da Educação, Aloísio Mercadante, e o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, lançam mão, mais uma vez, de argumentos equivocados e populistas sobre a falta de médicos no Brasil.

    Ao ignorar os reais motivos da ausência de médicos em diversos serviços e localidades, o governo federal aponta, sem nenhum fundamento, que a solução para a saúde no país seria atingir um número “mágico”, a taxa de 2,5 médicos por 1 mil habitantes.
    O Cremesp, em parceria com o CFM, acaba de realizar a projeção Concentração de Médicos no Brasil em 2020. Mesmo sem abrir uma única nova vaga, com o cenário “congelado” em 2010, em menos de dez anos, o Brasil alcançaria a relação pretendida pelo governo.

    Mas este é um falso debate. Até mesmo organizações internacionais, como OMS, OPAS e OCDE desaconselham comparar países a partir da razão médico-habitante, pois há diferenças na extensão dos territórios, nos sistemas de saúde, no nível socioeconômico das populações, no perfil demográfico e epidemiológico. No Brasil, as desigualdades entre regiões, entre necessidades de saúde e entre os setores público e privado desautorizam uma taxa única nacional.

    Desacompanhada de políticas claras de fixação e valorização dos médicos, sem Carreira de Estado e sem investimento no sistema público de saúde, a abertura de mais vagas de Medicina, sem nenhum compromisso com a qualidade do ensino médico, terá efeito oposto do anunciado.

    É verdade que fará crescer o contingente global de médicos, mas acentuará as desigualdades a favor do setor privado da saúde e de locais com grande concentração de profissionais. É uma irracionalidade, por exemplo, a abertura de cinco novos cursos em São Paulo, em regiões que já têm escolas e alta densidade médica.

    Mais vagas jogarão no mercado médicos sem qualificação, com a abertura de cursos em condições inadequadas, inexistência de corpo docente qualificado para atender à nova demanda de alunos, sem hospitais de ensino e insuficiência de vagas na Residência Médica. Em ano eleitoral, fica também clara a intenção do Ministério da Educação em beneficiar o setor privado da educação com 800 novas vagas já em 2012.

    Convidamos os ministros a debater tal questão com as entidades médicas, sem demagogia, com transparência e honestidade intelectual, prevalecendo o compromisso com a assistência médica de qualidade à população brasileira.

    Renato Azevedo Júnior
    Presidente do Cremesp

    Texto publicado originalmente  no Editorial do Jornal do Cremesp nº 293 (pág. 2), edição de junho de 2012,  e reproduzido pelo Site do Cremep.

    Tags: GovernocursomedicinanovasvagasMinistérioEducaçãoRenatoAzevedoJornal.

    Veja os comentários desta matéria


    Queremos mais faculdades, sim, de qualidade. Mais médicos, sim, competentes e responsáveis que não deixam a população à míngua, e queremos agora, já, sem demagogia, com transparência. Que o exame seja em todo o pais já em 2012. Chega de tanto trololó.
    francisco lemos barros
    ESPERO QUE OS PROFISSIONAIS TENHAM UM POUCO DE BOM SENSO, EM TEREM UMA BOA RESIDENCIA, SE POSSÍVEL.
    RENATO N MAEGAWA

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 1626 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    Delegacia da Vila Mariana:
    Rua Domingos de Moraes, 2187 - cj. 223 - Edifício Xangai
    Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP 04035-000

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


    ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 440 usuários on-line - 1626
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior