Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 19-09-2019
    Febre maculosa
    Semana de mobilização contra doença acontece na Capital e região Metropolitana de São Paulo, de 16 a 20 de setembro
  • 17-09-2019
    Perícia Médica
    Com presença de ministros e secretários federais, congresso discute austeridade fiscal e mudanças de paradigma na carreira
  • 16-09-2019
    Ensino médico
    Ética médica e saúde mental do médico e do estudante de Medicina são temas de palestras do Cremesp
  • 13-09-2019
    Inscrições abertas
    Evento do Cremesp dirigido a médicos terá palestra sobre como reconhecer o comportamento suicida
  • Notícias


    22-05-2019

    Revalida

    Cremesp sugere aos ministérios da Saúde e da Educação ajustes na revalidação de diplomas estrangeiros

    O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) propôs ao Governo Federal um conjunto de medidas para aprimorar o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida), visando preservar a qualidade do atendimento médico prestado no País. 

    Em ofícios encaminhados aos Ministérios da Saúde e Educação, o Cremesp sugeriu ajustes pontuais na avaliação, como a realização da prova, de maneira centralizada, pelo Ministério da Educação, com o acompanhamento do Ministério da Saúde. Com isso, de forma conjunta, podem manter o adequado nível de exigência aos graduados formados em Medicina no exterior interessados em atuar no Brasil. Além da manutenção do rigor na aplicação das provas práticas e teóricas aos candidatos, o Cremesp solicitou às Pastas o aumento na frequência do Revalida. A aplicação periódica, com intervalos mais curtos entre as edições, evitaria entraves burocráticos à revalidação, predominando apenas os critérios meritocráticos. 

    “A demanda por médicos, em especial em áreas remotas, não pode ser subterfúgio para o afrouxamento das regras de concessão do registro profissional. Por isso, reiteramos total apoio a medidas que ajudem a estimular a regularização desses graduados e a fixação dos profissionais, com registro, em todo o território brasileiro. Nossa preocupação não passa pela nacionalidade ou o país de formação dos profissionais que pretendem atuar no Brasil. Defendemos somente o exercício da Medicina, a partir da avaliação prévia da capacidade técnica dos que irão clinicar. Por esta razão, é urgente a manutenção e o aprimoramento do Revalida e não a sua flexibilização”, comenta o presidente do Cremesp, Mario Jorge Tsuchiya. Ele já havia se posicionado sobre a questão, em entrevista recente ao Jornal da Record, no dia 11 de maio, defendendo o rigor na avaliação. 

    Atuação

    No documento encaminhado aos ministros da Saúde e da Educação, respectivamente, Henrique Mandetta e Abraham Weintraub, e ao secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, Arnaldo Lima – responsável pelo Grupo Técnico que analisará eventuais alterações no Revalida –, o Cremesp chamou a atenção para a importância do monitoramento, da uniformização e da certificação dos processos de avaliação. 

    Para respaldar a proposta, o Conselho apontou recente ação ajuizada referente à Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). Antes da intervenção do Cremesp e do Conselho Federal de Medicina (CFM), os diplomas estrangeiros eram revalidados em um modelo próprio daquela instituição, no qual os reprovados estavam autorizados a realizar 2.225 horas práticas e, após esta carga horária, conseguiam aprovação e habilitação profissional. Essa iniciativa judicial resultou em um acordo, ainda em 2018, que estabeleceu, entre outros, a cobrança de pontuação mínima em provas iniciais; a submissão dos solicitantes a novas avaliações de conhecimento e habilidades práticas, ao final dos estudos complementares; e a restrição desses estudos apenas a hospitais de ensino ou que possuam programa de residência médica. Este formato, segundo sugere o Cremesp ao Governo Federal, pode ser replicado em todo o País. 

    Para discutir estas e outras proposições, o Conselho instituiu uma Comissão de Educação Médica dedicada a temáticas como qualidade do ensino, modelos de avaliação e educação continuada. O intuito do Cremesp é acompanhar, de forma mais acurada, não só os temas relacionados à revalidação de diplomas estrangeiros, como tratar de outras pautas ligadas à qualidade da formação médica, como Programas de Residência de São Paulo e combater os chamados internatos e estágios clandestinos que, sem qualquer tipo de credenciamento, ofertam suposta formação e atalhos àqueles que tentam burlar a revalidação oficial.  

    Trâmites

    O Cremesp destaca que a concessão do registro profissional ao médico formado no exterior deve passar por uma checagem criteriosa de toda a documentação do graduado, uma vez que não são raros os casos de apresentação de diplomas falsos junto aos Conselhos Regionais.

    Diante desses fatos, o Cremesp vem monitorando as propostas legislativas relacionadas ao tema. A mais recente, o Projeto de Lei 2842/19, apresentado na Câmara dos Deputados, pretendia flexibilizar o Revalida. Entre outros pontos críticos, o PL propunha apenas uma análise simplificada do currículo dos graduados no exterior, com passagem pelo Programa Mais Médicos, como forma de revalidação do diploma. Após muita pressão, a matéria foi retirada de tramitação, dada a quantidade de falhas apontadas, a ausência de respaldo técnico e o não envolvimento da categoria nas discussões.


    Este conteúdo teve 4419 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


    ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 328 usuários on-line - 4419
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior